Uma São Paulo (re)nascente

  • 16 de Março de 2017

Conheça a Praça da Nascente, uma das Iniciativas da cidadania que vêm questionando o valor e a forma de uso da água na maior metrópole do Brasil

Muitos podem nem imaginar, mas São Paulo, a maior cidade do Brasil, é repleta de rios e nascentes. Porém, eles estão ocultos, canalizados, encobertos. Nos últimos anos, uma série de iniciativas começaram a questionar o sistema de manejo de água e a relação da população com a água.

Uma praça virou um dos símbolos desse processo. Em 2013, o coletivo Ocupe e Abrace surgiu em torno da Praça Homero Silva, no bairro da Pompeia, recuperando as nascentes localizadas na mesma e promovendo atividades sociais, ambientais e culturais. Assim, o local passou a ser conhecido como Praça da Nascente.

A água das nascentes foi canalizada para formar pequenos lagos, o que junto com outras iniciativas dos moradores ajudou a dar vida e ampliar o uso do espaço, que estava quase abandonado, tomado por matagal, e a agora passou a ser uma importante área de comum do bairro.

“Ao longo do ano fazemos mutirões abertos na praça para cuidar das nascentes. Hoje os moradores locais também cuidam silenciosamente da praça mostrando que não precisa esperar uma ação do poder público para melhorar o lugar e ter mais qualidade de vida na cidade, basta se reunir com os amigos e pôr a mão na massa!”, diz o corretor de imóveis Adriano Sampaio, integrante do Ocupe e Abrace.

A cada estação do ano acontece ali o Festival da Praça da Nascente, que reúne outros coletivos e iniciativas da cidade que também estão buscando uma São Paulo mais humana e ecológica, ocupando áreas verdes com hortas comunitárias, plantios de árvores, recuperação de nascentes. “Estas iniciativas de coletivos e cidadãos comuns nos grandes centros urbanos como São Paulo são bons exemplos de que a prática da cidadania é muito importante para ter uma qualidade de vida maior dentro dos centros urbanos”, afirma Sampaio

E a luta continua. O coletivo está se mobilizando contra a construção de prédios num terreno próximo, que poderia afetar nascentes do próprio terreno e da praça. Saiba mais em: www.pracadanascente.minhasampa.org.br.

 


Compartilhe esse artigo:

Comentários

Últimas notícias


Dez anos de retomadas quilombolas

  • 29 de Dezembro de 2017

No Espírito Santo, áreas usurpadas para o plantio do monocultivo de eucalipto foram retomadas por comunidades quilombolasLeia mais




Como Medellin usou a cultura para combater a violência

  • 28 de Dezembro de 2017

Confira na íntegra a entrevista exclusiva do ex-secretário de cultura da cidade Jorge Melguizo para a revista CidadanistaLeia mais




Movimentos do mundo se reunirão na Argentina contra o "livre" comércio

  • 03 de Dezembro de 2017

Confira o chamado internacional aos movimentos sociais para a Cúpula dos Povos diante da reunião da OMC em Buenos AiresLeia mais

Princípios da RAiZ

UBUNTU

“Eu sou porque você é”, “nós somos porque você é e eu sou”. Importante é a dignidade de todas as pessoas.

Leia mais

TEKO PORÃ

Somos “parte” da natureza e, para nossa própria sobrevivência como espécie, há que romper de uma vez por todas com a ideia de que podemos continuar vivendo “à parte” da natureza.

Leia mais

ECOSSOCIALISMO

Não temos o direito de seguir roubando o futuro dos que estão por vir. Para reverter este processo, o único caminho é a Revolução Ecológica.

Leia mais

CONSENSO PROGRESSIVO

Você sabe o que é Consenso Progressivo ? Veja aqui o GUIA que preparamos.

Leia mais

Entre em contato

© 2018. «Raiz Cidadanista».