Nota de repúdio ao ataque na UNB

  • 21 de Junho de 2016

Na última sexta-feira (17), um grupo de aproximadamente 30 militantes de extrema-direita invadiu a Universidade de Brasília (UnB), armados com porretes, bombas de efeito moral e Taser (arma de choque). O mesmo grupo de extremistas causou a destruição do patrimônio público no Instituto Central de Ciências e no Centro Acadêmico de Sociologia. E o mais grave, segundo vários relatos e denúncias vinculadas nas redes sociais, ocorreram práticas de violência física e moral contra estudantes que se encontravam no local.

No dia anterior a esse triste episódio, a direção do Instituto de Ciências Sociais (ICS) enviou à Reitoria da UnB um memorando solicitando reforço na segurança aos CA’s e que investigassem as ameaças que a(o)s aluna(o)s fossem apuradas - estudantes de Sociologia e Antropologia têm recebido constantemente ameaças de morte e avisos de invasão aos seus Centros Acadêmicos. Porém, um dia após, a ameaça anunciada foi concretizada, uma expressão sintomática do que está se passando dentro da universidade e que encontra ressonância em outros contextos.

O que está sendo exposto é o repúdio às práticas violadoras, que estão levando os espaços públicos da diversidade de pensamento e liberdade de existência ao foco de exposições constrangedoras, ameaças gratuitas e agressões deliberadas as cidadãs e aos cidadãos que habitam a universidade.

Mais uma vez ficaria demonstrado que toda e qualquer controvérsia envolvendo expressão do livre pensamento não é simples, nem se reveste daquela singeleza que muitos de nós pretendemos conferir aos temas que envolvem esse tipo de matéria.

Qualquer tipo de incitação à violência é repudiada e deverá ser objeto de investigação administrativa na UnB e investigação criminal pelos órgãos competentes. Não podemos encorajar práticas de exceção dentro de uma universidade, tampouco fora dela. Entendemos que o momento político que atravessa o país incorre em divergências políticas e posições ideológicas distintas, mas não é saudável a existência de silenciamentos por imposição da força, nem tampouco o sequestro da liberdade.

A representação conflituosa da ideologia tem rivalizado com o direito constitucional da liberdade de expressão e emancipação política na constituição de uma sociedade pluriétnica e democrática. Estratégias retóricas comuns desenvolvidas por discursos extremistas tem contribuído para a criação de um repertório enunciativo fascista.

Ao lidarmos com a relação entre violência e liberdade, tem sido um lugar comum evocar o sugestivo discurso de livre manifestação. Mas o que não está sendo considerado é que ameaças e agressões estão na ordem do crime, que evocam responsabilidade perante o Estado Democrático de Direito e que está de forma desavergonhada sendo minado por ações desinibidas de violência. O extremismo ideológico tem se tornado potencialmente uma arma de ruptura institucional de alta gravidade, posto que se coloca acima do bem comum e da Constituição Federal.

A peça central de destaque nesse triste episódio é a fanfarronice de uma cultura da aberração política, que não mais timidamente se coloca na esfera pública para incitar práticas de baixa política e afago de procedimentos ditatoriais amplamente repudiados em Estados Democráticos. Em certos momentos durante o passado e o presente, ações de violência que atentem para liberdade de existência não podem encontrar oxigênio, posto que elas se movem rumo ao declínio civilizatório de toda uma sociedade.

Nesse sentido, entendemos que episódios de práticas de violência, motivadas por ódio ideológico, como o ocorrido na Universidade de Brasília, são graves por atentar diretamente contra a liberdade mais elementar dos indivíduos, a livre disposição dos corpos. E mais, que estão se tornando mais recorrentes em vários outros lugares do país.

Nós, da RAiZ Cidadanista, defendemos o compromisso com o Estado Democrático de Direito e a garantia legal da integridade física e moral de toda(o)s cidadãs e cidadãos de nosso país. Portanto, aguardamos que o caso seja investigado com rapidez e as(os) envolvida(o)s nas práticas fascistas e de terror, responsabilizada(o)s judicialmente.

A sociedade brasileira e suas instituições democráticas não podem aceitar conviver com práticas fascistas que violam princípios constitucionais do Estado de Direito. É imprescindível salvaguardar o direito constitucional de liberdade de opinião e o respeito à vida.

Fascistas, NÃO PASSARÃO!!!

RAiZ Movimento Cidadanista


Compartilhe esse artigo:

Comentários

Últimas notícias


Carta em defesa da posição histórica do Brasil sobre offsets florestais

  • 18 de Julho de 2017

Organizações sociais brasileiras publicam carta contra as falsas soluções para enfrentamento da crise climática.Leia mais




RAIZ AVANÇA EM SUA 7ª TEIA NACIONAL

  • 22 de Maio de 2017

Realizada em 19 e 20 de maio de 2017, em Fortaleza, a 7ª Teia Nacional Presencial representou um importante momento ...Leia mais




Teia Estadual de São Paulo será dia 6 de maio

  • 25 de Abril de 2017

O objetivo é fazer um debate prévio dos temas e assuntos a serem tratados na Teia Nacional.Leia mais

Princípios da RAiZ

UBUNTU

“Eu sou porque você é”, “nós somos porque você é e eu sou”. Importante é a dignidade de todas as pessoas.

Leia mais

TEKO PORÃ

Somos “parte” da natureza e, para nossa própria sobrevivência como espécie, há que romper de uma vez por todas com a ideia de que podemos continuar vivendo “à parte” da natureza.

Leia mais

ECOSSOCIALISMO

Não temos o direito de seguir roubando o futuro dos que estão por vir. Para reverter este processo, o único caminho é a Revolução Ecológica.

Leia mais

CONSENSO PROGRESSIVO

Você sabe o que é Consenso Progressivo ? Veja aqui o GUIA que preparamos.

Leia mais

Entre em contato

© 2017. «Raiz Cidadanista».